segunda-feira, 22 de março de 2010

Coletânea Dia Mundial da Água

Hoje no Dia Internacional da Água, fiz uma coletanea das matérias mais bacanas que li e disponibilizo para vocês:

Para cada 1000 litros de água consumida há 10.000 de água poluída
Site: Uol Ciências e Saúde


Dia 22 de março é a data escolhida pela Organização das Nações Unidas para celebrar o Dia Mundial da Água. Em relação a outros países, o Brasil pode ser considerado privilegiado em relação a esse recurso. O país conta com cerca de 12% da concentração mundial de água doce.
No entanto, a escassez de água é uma ameaça para o mundo todo. Para se ter uma ideia, a partir de 1950 o consumo triplicou no planeta. E o consumo médio de água, por habitante, foi ampliado em cerca de 50%. Para piorar o cenário, para cada 1.000 litros de água utilizada pelo homem, há 10.000 litros de água poluída, segundo a ONU. 
É um motivo e tanto para se preocupar, uma vez que, já 2.000 anos, a população mundial correspondia a 3% da atual, enquanto o volume de água permanece o mesmo. Para o futuro, estima-se que nos próximos 20 anos o homem vai usar 40% a mais de água do que usa agora.
Descubra outras curiosidades sobre a água:
- Graças à água é que surgiu a primeira forma de vida do planeta há milhões de anos; dela o processo evolutivo caminhou até formar nossa espécie e continua a manter toda a diversidade que conhecemos.
- O homem pode passar até 28 dias sem comer, mas apenas 3 dias sem água.
- Três quartos da superfície do nosso mundo são cobertos por água, sendo 97% salgada, e apenas 3% doce. Contudo, do percentual total da água doce existente, a maior parte encontra-se sob a forma de gelo nas calotas polares e geleiras, parte é gasosa e parte é líquida - representada pelas fontes subterrâneas e superficiais. Já os rios e lagos, que são nossas principais formas de abastecimento, correspondem a apenas 0,01% desse percentual, aproximadamente.
- No Brasil, mais de 90% dos esgotos domésticos e cerca de 70% dos efluentes industriais não tratados são lançados nos corpos d'água.
- De toda a água que se retira de mananciais para abastecer as capitais brasileiras, quase a metade (45%) se perde antes de chegar às casas e atender à população. A principal causa são os vazamentos na rede.
- Mais de 1 bilhão de pessoas sofrem com a falta de água para consumo.
- Mais da metade da população mundial - cerca de três bilhões de pessoas - sofrerá escassez de água em 2025, segundo a Unesco.
- O gotejamento de uma torneira chega a um desperdício de 46 litros por dia. Isto é, 1.380 litros por mês. Ou seja, mais de um metro cúbico por mês - O que significa uma conta mais alta. Um filete de mais ou menos 2 milímetros totaliza 4.140 litros num mês. E um filete de 4 milímetros, 13.260 litros por mês de desperdício.
- Um buraco de 2 milímetros no encanamento pode causar um desperdício de 3.200 litros por dia, isto é, mais de três caixas d'água.
- Os países com maior quantidade de água per capita são: Guiana Francesa, Islândia, Guiana, Suriname, Congo, Papua Nova Guiné, Gabão, Ilhas Salomão, Canadá e Nova Zelândia.
- Os países com menos água per capita são: Kuait, Emirados Árabes Unidos, Bahamas, Qatar, Maldivas, Líbia, Arábia Saudita, Malta, Cingapura e Jordânia.
Fonte: Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), Snis (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento) e ONU (Organização das Nações Unidas)

Água poluida mata mais que violência

A população mundial está poluindo rios e oceanos com o despejo de toneladas de resíduos sólidos diariamente,  prejudicando a vida marinha e envenenando crianças no mundo todo.  De acordo com o relatório divulgado hoje (22),  Dia Mundial da Água, em Nairóbi, no Quênia, África ,pelo Programa para o Meio Ambiente das Nações Unidas (Unep, na sigla em inglês), o consumo de água não tratada e poluída hoje em dia mata mais do que todas as formas de violência. O documento foi entitulado  Água Doente e afirma que milhares de crianças e adultos morrem por ano em decorrência da da poluição da água, alertando para a necessidade da adoção de medidas urgentes.
Protestos estão sendo feitos no mundo todo, em Berna na Suíça por exemplo, foram expostas 4 mil mamadeiras com água suja em uma praça pública.
De acordo com o relatório, as populações urbanas deverão dobrar de tamanho nas próximas quatro décadas. A projeção é que os números subam dos atuais 3,4 bilhões para mais de 6 bilhões de pessoas. Nas grandes cidades já há carência de gestão adequada dos recursos hídricos em decorrência do envelhecimento do sistema, de falhas na infraestrutura ou de tratamento de esgoto insuficiente.
Os resíduos contaminantes são comspostos principalmente de esgotos, pesticidas agrícolas, resíduos animais e industriais.
“Isso significa que mais pessoas agora morrem de água contaminada e poluída do que de todas as formas de violência, incluindo as guerras.” A contaminação da água também gera as zonas mortas em mares e oceanos de todo o mundo, sufocando recifes de corais e peixes, diz o documento, informando que 2 bilhões de toneladas de resíduos são jogados em águas de todo o mundo anualmente.
O relatório ainda afirma que 1,8 milhões de crianças com menos de 5 anos morrem anualmente pela falta de água limpa. E a maior parte dos resíduos lançados são provenientes de países em desenvolvimento.
A recomendação do estudo é de sistemas de reciclagem de água e projetos multimilionários para tratamento de esgoto e também a proteção de áreas terras úmidas (processadores naturais de esgoto) e de uso de dejetos animais como fertilizantes.
Se quisermos sobreviver em um mundo com 9 bilhões de pessoas, que de acordo com as projeções é o que teremos em 2050, devemos nos tornar mais inteligentes no manejo de água e esgoto, disse Achim Steiner, direto da Unep.
 
ONU destaca a purificação do recurso natural
agua-1.jpg
Guiando atividades e iniciativas em diferentes partes do planeta, a escolha dos assuntos é fundamental para despertar na sociedade um olhar mais crítico / Fotos: ONU
Há 15 anos, durante o Dia Mundial da Água, a Organização das Nações Unidas (ONU) chama a atenção da população mundial para problemáticas relacionados ao tema água. Em 2010, o assunto é  “Água limpa para um mundo saudável”.
Com atividades e iniciativas em diferentes partes do planeta, a escolha dos assuntos é fundamental para despertar na sociedade um olhar mais crítico e atencioso em relação à água e suas questões. Ao longo de quase duas décadas de mobilização, diversos assuntos foram colocados em pauta, buscando disseminar conhecimento entre as pessoas e estimular ações de conservação.
Nesta retrospectiva, relembre o que já foi abordado pela ONU durante os 16 anos de comemorações da data.
2009: Água nas fronteiras
2009.jpgNo último ano da data, o tema escolhido foi "Compartilhando Água - Companheiros de Oportunidades". O foco da celebração foi colocado sob as águas que estavam situadas em locais de fronteiras. O tema teve como objetivo estimular a construção do respeito mútuo, compreensão e confiança entre os países na promoção da paz, da segurança, do crescimento econômico sustentável e na gestão do recurso.
2008: Saneamento

2008.jpgEm 2008, o Dia Mundial da Água coincidiu com o Ano Internacional do Saneamento, e desafiou a celebração a estimular uma ação conjunta, envolvendo os temas que já estavam diretamente relacionados. Com dados alarmantes, como a morte de uma criança a cada 20 segundos decorrente das condições de saneamento, o tema mobilizou importantes nomes mundiais, como Willem-Alexander, príncipe de Orange.
2007: Escassez
2007.jpgO crescente problema da escassez de água foi o tema do ano de 2007. O tema destacou a crescente escassez de água no mundo e a necessidade de maior integração e cooperação para assegurar a gestão sustentável, eficiente e equitativa dos recursos hídricos. As ações do dia contaram com iniciativas em nível internacional, como local, pontuando a realidade das menores até as maiores situações de escassez.
2006: Água e Cultura

2006.jpgO tema de 2006 chamou a atenção para o fato de que há tantas maneiras de ver, usar, e celebrar a água como existem tradições culturais em todo o mundo. Sagrada, a água está no centro de muitas religiões e é utilizada em diversos ritos e cerimônias, da mesma forma que esta na arte por séculos - na música, pintura, escrita, cinema – além de ser um fator essencial em muitos esforços científicos.
2005: Água para a vida
2005.jpgO ano de 2005 foi marcado pelo início da “Década Internacional da Ação Água para a Vida", e a data de celebração do Dia da Água não poderia estar de fora. Dando enfoque especial ao recurso, ações e discussões foram permeadas pelo tema, que tinha como objetivo estimular a criação de metas e esforços para garantir a conservação do bem e a concretização dos Objetivos do Milênio relacionados ao tema.
2004: Água e desastres
2004.jpg A mensagem do dia foi: recursos de tempo, clima e água podem ter um impacto devastador no desenvolvimento socioeconômico e no bem-estar da humanidade. Avaliando as causas e consequências de desastres naturais, a data buscou monitorar esses eventos e alertar a população sobre as precauções cabíveis.
2003: Água para o futuro
2003.jpg Água para o Futuro foi o tema do Dia Mundial da Água 2003. O chamado foi para que cada pessoa pensasse melhor sobre a qualidade da água doce disponível para as gerações futuras. Isto é essencial se quisermos atingir um dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: a redução pela metade, até 2015, do número de pessoas que vivem sem água potável e saneamento básico.
2002: Água para o desenvolvimento
2002-1.jpgÁgua para o Desenvolvimento foi o tema para 2002. A Agência Internacional de Energia Atômica foi a agência das Nações Unidas que assumiu a coordenação. O estado de deterioração dos recursos hídricos em muitas partes do globo e o planejamento da gestão dos recursos integrados à água foram alguns aspectos relacionados ao tema que foram abordados em discussões e ações.
2001: Água e saúde
2001.jpg Sob o tema Água e Saúde, a mensagem para o dia foi: "São necessários esforços concretos para fornecer água potável e melhorar a saúde, bem como para aumentar a conscientização em todo o mundo dos problemas e das soluções. 22 de março é uma ocasião única de lembrar a todos que as soluções são possíveis". A data também contou com um site para interagir melhor com a população mundial.
2000: Água para o século 21
2000-1.jpg "A disponibilidade e a qualidade da água estão cada vez mais sob pressão. Mesmo que as condições se mantivessem constantes para o futuro próximo, grande parte do mundo se encontraria em um estado de crise da água”. O discursso de Wim Kok, primeiro-ministro da Holanda, deu as boas-vindas às comemorações da data da água, que teve como tema “Água para o Século 21”.
1999: Inundações
1999.jpg Inundação excessiva de grandes rios do mundo em 1998 resultaram em milhares de mortes e causou danos enormes na China, Bangladesh e Índia. Essas alterações não eram apenas o resultado de chuvas excessivas, mas também da interferência do homem nas bacias hidrográficas. Estas tragédias fizeram o ano de 99 um momento de reflexão sobre o coletivo e a natureza.
1998: Lençóis freáticos - O recurso invisível
1998.jpg Procurando ampliar a discussão sobre a "água invísivel", a quinta comemoração do Dia Mundial da Água trouxe às vistas mundiais a importância deste tesouro que fica embaixo da terra. A UNICEF e a Divisão das Nações Unidas de Assuntos Econômicos e Sociais (UNDESA na sigla em inglês), assumiram a liderança da organização de eventos e ações que levavam a bandeira da comemoração.
1997: A água do mundo é suficiente?
1997.jpgNeste ano, a questão levada para a população foi: “A água é um requisito básico para toda a vida, mas os recursos hídricos estão enfrentando demandas cada vez maiores, e a concorrência entre os usuários não para de crescer, Será suficiente a água existente no planeta?” Ainda hoje, a dúvida e a preocupação com a preservação do recurso são questões que permeiam discussões e debates.
1996: Água para cidades que têm sede
1996.jpgO terceiro dia anual da água foi comemorado em 22 de março de 1996, com o tema Água para as Cidades que têm Sede. Ele enfatizou a crescente crise da água enfrentada pelas cidades de todo o mundo, que ameaça a sustentabilidade do seu desenvolvimento econômico, além de afetar diretamente a sociedade.
1995: As mulheres e a água
1995.jpgO destaque internacional para o data da água foi o tema "Mulheres e Água". Dentre as diversas ações e atividade promovidas pelo Departamento de Água das Nações Unidas, dois subtemas foram escolhidos para guiar a campanha: a poluição da água e a degradação ambiental.
1994: Cuidar de nossos recursos hídricos é um trabalho de todos

1994.jpgO tema do Dia Mundial da Água 1994 foi "Cuidar de nossos recursos hídricos é um trabalho de todo”. Iniciando as atividades relacionadas à celebração, o tema procurou conscientizar a população da importância da ação de todos na conservação do recurso. Mostrando que cada um poderia fazer a sua parte, a comemoração seria a primeira das mais de 15 que ainda se seguiriam.
 

terça-feira, 16 de março de 2010

Emissão de CO2 atinge pico

Os níveis do principal gás causador do efeito estufa presentes na atmosfera subiram para um pico novo em 2010, apesar da recessão econômica em muitos países que freou a produção industrial.

O dióxido de carbono, medido na estação norueguesa Zeppelin, no arquipélago ártico de Svalbard, subiu para a média de 393,71 partes por milhão da atmosfera nas primeiras duas semanas de março, contra 393,17 partes por milhão no mesmo período de 2009, continuando com a tendência de aumento que se estende há anos.

"Olhando para os dados recebidos do Zeppelin desde o final dos anos 1980, parece que o aumento está acelerando", disse Johan Stroem, do Instituto Polar Norueguês, falando dos dados compilados pela Universidade de Estocolmo.

O aumento nas concentrações de CO2, que estão próximas do pico anual observado antes do crescimento de vegetação (que absorve o carbono) na primavera do Hemisfério Norte, foi abaixo do ganho médio do ano, de cerca de 2 partes por milhão.

"Mesmo assim, os dados confirmam o aumento", disse Stroem, falando dos dados relativos às duas primeiras semanas de março. As concentrações variam de semana a semana, dependendo dos ventos no Ártico.

As concentrações de carbono subiram em mais de um terço desde que a Revolução Industrial introduziu o uso mais amplo de combustíveis fósseis. Um estudo feito em 2009 do oceano ao largo da África indicou que os níveis de carbono atmosféricos estão no ponto mais alto em 2,1 milhões de anos.

Ao que tudo indica, a recessão que atingiu muitos países em 2009 não afetou o aumento do nível de C02. A Agência Internacional de Energia estimou em setembro que as emissões de dióxido de carbono cairiam cerca de 2,6% em 2009 devido ao declínio na atividade industrial.

As concentrações podem continuar a subir, porque cada molécula de carbono emitida normalmente permanece na atmosfera por muitos anos. O painel de cientistas climáticos da ONU diz que o aumento da concentração de carbono vai causar mais enchentes, deslizamentos de lama, ondas de calor, tempestades de areia e elevações do nível dos mares.  
Os dados "parecem indicar que estamos continuando a emitir carbono como se não houvesse amanhã", disse Kim Holmen, diretor de pesquisas do Instituto Polar Norueguês.

A concentração cada vez maior de dióxido de carbono, também registrada desde o final da década de 1950 em medições feitas desde o alto de uma montanha no Havaí, é um dos elementos mais fortes no argumento dos cientistas climáticos de que a humanidade é a culpada pelo aquecimento global.

Céticos passaram a questionar o argumento científico desde que vazamentos de e-mails de uma universidade britânica, no ano passado, aparentemente indicaram que alguns pesquisadores climáticos são intolerantes de visões discordantes.

O painel de cientistas climáticos da ONU, que enfrenta criticas por erros que incluem uma estimativa exagerada da rapidez em que as geleiras do Himalaia estão derretendo, diz que tem mais de 90% de certeza de que o aquecimento global é provocado por atividades humanas.

 Via > Info Plantão

sexta-feira, 12 de março de 2010

Programa Ciclo Sustentável Philips

Na próxima segunda-feira (15/03/10) será lançado o programa Ciclo Sustentável Philips, que irá promover a reciclagem de aparelhos eletrônicos que antes seriam jogados no lixo.

Desta forma, os produtos completarão seu ciclo de vida de maneira totalmente responsável, minimizando os impactos no meio ambiente e a poluição que poderiam provocar.

Como funciona o Programa?

O Programa Ciclo Sustentável Philips vai recolher todo tipo de aparelho eletrônico obsoleto com a marca Philips, como TVs, aparelhos de áudio, monitores, etc. Em seguida, vai tratar cada componente, encaminhando-os a um destino ecologicamente correto.

Essa é uma grande oportunidade para você ampliar a sua contribuição ao planeta.

Como participar?

Leve a um posto credenciado Philips todos os aparelhos eletrônicos que você não utiliza e nem pretende utilizar mais. Cada parte será encaminhada adequadamente ao destino correto. Assim você contribui, efetivamente, junto com a Philips, para reduzir o impacto ambiental e a produção de lixo, promovendo a sustentabilidade e o bem-estar para as futuras gerações.

Para ficar sabendo das novidades, siga @eeficiente e @verdevisao.


quinta-feira, 11 de março de 2010

Cachorro emite mais gás carbônico do que um carro !

Uma reportagem muito bacana mostrando que uma tarefa tão simples como cuidar do seu cão emite uma grande quantidade de gás carbonico.
 

sexta-feira, 5 de março de 2010

Mais Gases do que o Esperado

O Imazon publicou nesta quarta-feira seu tradicional boletim Transparência Florestal, com dados sobre desmatamento na Amazônia detectados pelo Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) em dezembro de 2009 e em janeiro de 2010. A novidade é que agora o instituto passou a incluir no boletim informações sobre a quantidade de carbono emitida a partir desses desmatamentos, uma ferramenta a mais para orientar ações do poder público sobre os locais em que a conversão de florestas em áreas abertas representa altos índices de emissões.

Apesar da forte cobertura de nuvens, que impediu avaliação do desmatamento na Amazônia em 50% de sua extensão, o SAD enxergou uma perda de pelo menos 16 km2 de florestas em dezembro de 2009 (68% a menos do que no mesmo mês de 2008). O estado que mais desmatou nesse mês foi Mato Grosso, seguido do Pará. Em janeiro de 2010, o desmate foi de 63km2 (26% a mais do que em janeiro de 2009). Nesse mês Roraima e Mato Grosso dividiram o primeiro lugar no ranking dos que mais destruíram a floresta. Levando os dois meses em consideração, a área degradada foi de 61km2. A vasta maioria ocorreu também em Mato Grosso.

No acumulado de agosto de 2009 a janeiro de 2010, o corte foi de 836 km2. Isso é 22% superior ao desempenho no período anterior, mas representa uma redução no corte em Mato Grosso (-35%) e Tocantins (-98%), e um incremento em Roraima (+545%), Acre (+503%), Rondônia (+90%), Amazonas (+59%) e Pará (+23%). Essa área desmatada provocou a emissão de 13,8 milhões de toneladas de carbono (liberadas por queimadas e decomposição florestal). A quantidade de carbono emitida é 41% maior do que no período de agosto de 2008 a janeiro de 2009. Ou seja, emitiu-se quase o dobro de carbono esperado se comparado a área devastada, o que revela que desmatamentos mais modestos podem representar grandes emissões, dependendo da densidade da biomassa que se perde.

De acordo com o que foi apurado, o Imazon considera que o desematamento esteja ocorrendo em áreas com maiores estoques de carbono.

Em dezembro último, as áreas que mais sofreram com desmatamentos foram a Calha Norte do Pará, a região da BR-163 e a porção central de Mato Grosso. Em janeiro deste ano, o corte se concentrou em Roraima, na região do Xingu (MT), novamente na Calha Norte e ao longo da rodovia Transamazônica (BR-230).
 
Via > O Eco

  © Verde Visão 2008-2010. Todos os direitos reservados | Template by Dicas Blogger.

TOPO  

BlogBlogs.Com.Br